Esqueça os velhos amores

Em 13.09.2017   Arquivado em Textos

Pequena flor, eu sei que na maior parte da sua vida os velhos amores mentiram para você. Você passou por diversas desilusões amorosas né?! O coração já quebrou tantas vezes coitado, nem resta mais espaços para band-aids.

Eu sei que após passar por toda essa dor seu coração endureceu. Endureceu de um jeito que você não se permite mais tentar, não tem mais interesse em procurar no outro um aconchego, um amor para te dá sossego e mais felicidade.

Eu te entendo de todo o meu coração, mas posso te aconselhar da melhor forma que eu posso? Pare de ficar comparando os amores antigos, desgastados e ruins com novas aparições. Às pessoas são diferentes. Dê uma chance para você e para as paixões que surgem em sua vida. Talvez você esteja perdendo a chance de viver em um relacionamento saudável e próspero, porque seu coração está duro demais para se entregar.

Sei que os velhos amores te machucaram, mas de uma coisa eles serviram, te ensinaram a não aceitar metades e são elas que te magoam e mentem para você. Por isso mergulhe em pessoas inteiras, com corações inteiros, para compartilhar o seu todo, assim, como você merece. Se você quiser.

Aquele amor que aquece

Em 31.08.2016   Arquivado em Textos
aquele amor que aquece

Fonte imagem: Splitshire

Achando que aquele seria mais um dia comum e sem muitas novidades, fechei a porta de casa para ir ao trabalho e escutei um “bom dia” vindo de uma voz familiar. Eu sabia de quem era e um frio na espinha surgiu imediatamente. Era ele, o tal moço que havia conhecido há um tempo e que não saía da minha mente. Sua presença ali naquele instante não era rotineira, meu coração logo disparou. Ele era alto, nem chegava a ser tão musculoso mas era forte, tinha lindos cabelos castanhos encaracolados.

Me virei em sua direção e não soube o que dizer quando um “oi” acompanhado de um belo sorriso saltou da sua boca. Fiquei paralisada, olhando para o seus olhos que pareciam um céu escuro, cheio de constelações. Um universo doido para ser desvendado. E Deus, como eu estava doida para desvendá-lo.

Sua mão se estendeu em minha direção e acompanhei-a com os olhos. Ela tocou em meu braço como se estivesse tentando me confortar e logo ouvi um “você está bem?”. Balancei a cabeça, ainda olhando para aquela mão grande, linda e forte. Fiquei me perguntando como alguém poderia causar tanto efeito assim em mim. A verdade é que desde a primeira vez que o vi na última primavera, logo quando se mudou para a rua da minha casa, senti algo diferente.

Tudo ficou silencioso de repente, pois só tinha a gente ali e estávamos nos encarando há tempos, parecia uma eternidade, mas uma eternidade boa. Logo percebi o que queria, seus olhos não mentiam, entregaram logo. Ele me desejava. Assustei, pois nunca passou por minha cabeça que ele sentia algo por mim e naquele instante estava tão nítido. Eu sei pois eu também o desejava. Não era algo da minha cabeça, realmente aquilo estava acontecendo.

Percebendo o que eu queria, se aproximou prontamente. A cada segundo que se passava, mais seu corpo estava próximo ao meu. Sua respiração estava mais calma e mais próxima. Seu cheiro estava intenso, eu amava aquele perfume, um tipo amadeirado, mas não tão forte, suave, uma delicia. Eu amava tudo que vinha dele.

Ele olhou para os lados, certamente para conferir se algo ou alguém poderia nos impedir, por fim voltou-se a mim. Meu coração disparou de uma forma absurda, quase atropelando meus pulmões, estava ficando sem ar. Colocou a mão em volta da minha cintura, imediatamente me puxando para perto. E com a outra afastou o cabelo do meu rosto, pondo atrás da orelha. Seu peito era forte, eu nunca gostei tanto assim de caras musculosos, mas dele eu gostava.

Você não tem noção do quanto eu queria fazer isso, juro, estava me segurando há semanas. Você não sai da minha cabeça e é uma tortura te ver todos os dias e não poder sequer te abraçar. – Sussurrou ele.

Sim, eu sei. – Foi a única coisa que consegui dizer com mais de uma palavra.

Ele deu um sorriso de canto, daqueles que faz seu coração derreter-se e transformar-se em líquido. Eu fechei os olhos, senti-o mais próximo a mim. Minha mente deu um nó de vez quando percebi que já estávamos nos beijando. Estávamos sedentos um pelo o outro e doidos para que aquilo acontecesse logo. E como aconteceu, não pretendíamos parar por tão cedo.